terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Let's say the things that we never said

Bom, vamos começar do começo.
Quando te conheci, já te contei isso, não fui com a sua cara.
Afinal estavas namorando o amor da vida da minha melhor amiga, era natural eu não gostar de você. Mas hoje vejo q a única coisa q eu sabia a seu respeito era o seu nome.
Não sabia que eras o melhor amigo do garoto pelo qual eu fora apaixonada a vida toda, afinal, chegara em Floripa em 2009.
Mas quando tudo aconteceu, aquela tal noite da virada, o início de 2010 com um abraço teu, mesmo você sendo tão desconhecido... Estando presente num dos momentos mais perfeitos da minha vida, você passou a ser associado a horas felizes e memórias íntimas.
Estavas sempre lá, tocando violão, dando música e sentido aos meus beijos sem sentido no B*.
Eu jurava que ganhava um amigo ali.
Meu carinho por você cresceu, meu romance acabou, e nós nos afastamos.
Nada mais natural, afinal vc era ex da ex da minha melhor amiga, e eu ex do seu melhor amigo.
E o pior, para nenhum de nós dois o sentimento havia morrido.
Encontrávamo-nos casualmente, porque querendo ou não, vivemos em um lugar pequeno cheio de pessoas comuns. E sempre um carinho renascia em mim. Em você, eu via só educação.
Você me olhava a maioria das vezes com pena... Afinal, todos sabiam q ele acabara comigo, q foi ele quem jogou tudo no lixo.
E por diversas vezes me desse os melhores conselhos.
E o carinho cresceu, e se transformou em um sentimento indefinido.
Falar com você se tornava uma necessidade mais forte a cada dia que passava.
Eu achando isso totalmente compreensível, ignorava.
Precisava te ver, e assim fui saindo com você, tentando conquistar sua confiança.
Juro, de todo coração, que foi tudo na inocência. Meus amigos diziam q formávamos um belo par, eu concordava e por dentro desejava isso, mas quando t via, gostava tanto de ser tua amiga que tinha medo d teperder por caprichos e opiniões alheias.
E assim, fui levada pela confusão... Chorava pelo B*, e te desejava, desejava ouvir suas histórias, desejava beijar você, desejava estar longe de td q me lembrasse ele...
Confusa, fui embora. Desejando que quando eu voltasse, conseguisse ser sua amiga de verdade. Que minha cabeça estivesse no lugar e você estivesse no lugar certo, ao meu lado.
Quado voltei amei t ver, amei ser tua amiga, quando comentasse sobre minha frieza as vezes, percebi q eu me controlava, me escondia de td q eu sentia. Quando te flei do meu medo d errar, você deve ter ficado na dúvida sobre o que eu estava falando.
Enfim, eu senti q estava perdidamente apaixonada, tentei disfarçar e quanto mais tempo passávamos juntos, mais eu tentava me enganar dizendo q todos os toques eram d irmão p/ irmão...
Desculpa... eu sei que não adianta dizer... mas...
Em nossa situação complicada, eu não te peço nada, apenas q não me julgue da pior forma.
Juro q um dia riremos dessa minha paixão por você.
Não quero t pedir para tentar nada comigo pois acho q não suportaria chorar por outra pessoa mais uma vez.
Prefiro pensar que não damos certo porque não tentamos, medo d arriscar.
Entendo sua situação: pertenci durante um ano inteiro ao seu melhor amigo e vc ainda ama ela.
Então... sem chances p/ mim...
Também não faço seu tipo...
HAUHAUHUAHUAHUAHUA
vamos nos afastar? fingir q eu não disse nada? ou... vamos pensar q se tiver q acontecer acontecerá?
quem sabe bêbados?

Nenhum comentário:

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
"Sou somente uma alma em tentação, Em rota de colisão. Deslocada, estranha e aqui presente." Lenine (fere e rente)