segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Continuação, agora com um grande equivoco!

Já estava na segunda música do cd, e ela já estava se lembrando do que sentiu quando ele se aproximou e perguntou se ela queria se juntar a turma dele...
Ela queria sim, os olhos dele eram interessantes...
-Bom, meus amigos estão longe daqui, acho q não se importariam!
Ele sorriu com sua resposta, e isso a fez tremer toda, já q seu sorriso era mais atrente do q imaginara.
Ele pegou sua mão, e hoje enquanto se recorda, pensa q aquele toque tinha sido o mais intimo d tda relação deles. Fora tão espontaneo o modo como ele havia segurado sua mão, q ela pensara com seus botões " Ele é experiente ".
Prometeu a si mesma q seria a unica e não só mais uma, usaria tdas as suas técnicas para conquista-lo... Fazia tempo q não tinha um desafio em mãos!

domingo, 20 de janeiro de 2008

Equívoco

Era um equívoco. Ela sabia disso. Mas não podia deixar de escutar aquele cd, pelo menos só mais uma vez, a última. Conhecia todas as notas d uma forma até maluca...
Era equivocado ter gritado que nunca mais o veria, nem em seus pensamentos e nesse momento estar escutando o cd cujo ele chamava d "o precioso".
não era só o cd q era favorito entre eles, como também o show em q fora gravado. Se conheceram naquele show, sem medo nem pudor, decidiram naquela noite q iriam estar juntos p/ o resto da vida! Recordava ela cada palavra dita e cada gesto feito, assim como cada olhar trocado.
- Quer um gole? Ele nem se preucupava em começar uma conversa, sabia muito bem fazê-lo!
- Quero... Hoje ela se pergunta por que aceitou e por que deixou aquilo td ir adiante, justo ela q era bem anti-social.
Poderia ter ido embora e nem olhado p/ trás... Mas aí só seria mais uma noite d distração, e assim, não haveria história!

sábado, 19 de janeiro de 2008

Retorno e Lembrança


Ela caminhava sem q seus pais tocassem o chão.
Ouvia a música no fundo do corredor, sabia que era ele! O único a saber tocar sua música e aos poucos, quanto mais se aproximava mais sentia seu perfume: inconfundível cheiro d lavanda!
Estava com tantas saudades e tão ansiosa para vê-lo que não podia nem respirar.
Abriu a porta sem pensar e o encontrou d costas, debruçado sobre a partitura, pronto a começar tocar novamente.
Seus cabelos compridos ondulados sempre presos, estavam um pouco maior do que quando partira.
Ela se aproximou e tocou seu ombro, ele nem sequer se surpreendeu e disse:
- Sabia que essa música te atrairia para cá!
- Eu... - tentou ela sem perceber que ainda estava de camisola e descabelada, e por um momento teve medo de ainda estar na cama sonhando.
-Não diga nada- disse ele - Eu sei o tamanho de minha ausência.
Vendo-a mecher em seus cabelos preocupada com a aparência, disse:
- Fique tranquila, já te vi acordar muitas vezes...
Ela sorriu e isso permitiu que ele se aproximasse, ela se deixou tocar pois não podia em momento algum lhe dizer não. E as saudades eram tantas que nem seu corpo aguentava, trazendo grandes dores de cabeça.
O seu beijo continuava o mesmo, seu toque tinha a mesma leveza e sua paciência parecia não ter sido abalada. De repente ela ouviu a música começar a soar novamente, sabia que era sua mente que trazia de volta todas as notas e acordes esquecidos, juntamente com o ritmo d seus compassos. Sabia q ele voltara para ficar.

domingo, 13 de janeiro de 2008

Dia de Verão com Céu Nublado


As ondas do mar hoje estavam lindas! Sem nenhuma imperfeição, se formando todas no mesmo lugar e sempre com a mesma força. A água estava tão clara quanto a água de meu copo que estou bebendo agora... Embora a água estivesse linda, o céu estava cinzento... É mais ou menos assim q me sinto, uma parte de mim parece perfeita enquanto, na realidade, falta muito p/ um legitimo dia de verão...

Por que isso??

Acho que é pq vc simplesmente não pode estar comigo nesse momento e escutar "The police" o dia inteiro não ajuda!


Continuo a te esperar sem saber em que direção, ou em que dia d verão você virá!


sábado, 12 de janeiro de 2008

Floco de neve

Nenhuma grande idéia ocupa meus pensamentos, exceto a que traduz vc.

Aquele minúsculo floco de neve que esta intocado há mais de um ano, exibe exatamente o que sinto. Ele continua flutuando em minha mente e tenho certeza absoluta, que é assim que ele deve permanecer.

as vezes me pego brincando com ele e pensando se tivesse sido o contrário, ou se o tempo tivesse parado naquele exato instante...

Minha mente parece um emaranhado de lã, idéias e registros á habitam. Mas no meio dessa "cama de gato" algo vive a brilhar... É o meu floco de neve, aquele que leva o seu nome.

Não o chamo pelo nome, sim pelo nome que te dei á um ano atrás, quando dizíamos "eu te amo" sem medo do amanhã.

Embora pouco me lembre de vc, ainda conheço cada caracteristica desse pequeno cristal, e o conheço melhor do q a mim mesma.

Os compassos da nossa música são marcados com o bater dos meus pés, e os meus lábios continuam a se mecher, mostrando assim, a letra da musica, jamais esquecida. No momento escuto e recordo com saudades e claro, com arrependimento.

Estaria olhando nossas fotos se ainda as tivesse e logo depois as destruiria, coisa que já fora feita há tempos.

E saiba que eu só mantenho seu floco de neve vivo em minha mente, pelo medo d cometer o mesmo erro.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Lábios Colados


Ninguém me entende quando digo que meus lábios poderiam ser colados...

Não por falar pouco, pois falo muito, mas sim por ter os meus pensamentos apenas para mim.

Sempre me questiono se os meus pensamentos são privados somente á mim...

Aquelas coisas que nunca devem ser ditas em voz alta, mas que sempre fazemos questão de lembrá-las, ou então aqueles sonhos que se fossem contados a alguém, seriam considerados impossiveis, embora vc ainda os siga, em segredo.

Sem contar as milhares de vezes que escutei "Mariella-Kate Nash" e tive a certeza d que aquela música fora ecrita para mim.

Quem sabe um dia eu possa não mais desejar ter os lábios colados e tenha alguém em quem realmente confiar todos os meus pensamentos...

Acho que televisão foi inventada para manter as pessoas solitárias e para sempre consumistas.

Sou consumista, sempre fui, mas apenas como fruto da nossa sociedade e como alienada de grau comum.

Mas e a solidão? O que fazer com ela?

Ás vezes dançar ajuda, mas quando não é apenas o silêncio que te incomoda, o que fazer?

Amigos, eles não estão disponíveis 24 horas por dia, nem se pode gastar muito em telefone.

O jeito é criar um Blog... Serve para desabafos, distração, passatempo e até mesmo comunicação.

Creio eu, que eletrodomésticos em geral são objetos para solidão, podem nos distrair mas quando nos vemos só, eles podem se tornar instrumentos d tortura.

Como o telefone que agora toca incansávelmente e vc percebe que não há mais ninguém em casa a não ser vc para atende-lo. Ou então a geladeira que vc abre d cinco em cinco minutos e ás vezes apenas para se certificar d q ainda tem comida o bastante para mais uma tarde solitária. O seu ventilador que te traz conforto e vento, que com todo o silêncio da casa, se torna barulhento e insuportável. O som, embora o meu permaneça sempre ligado, ás vezes te faz pensar que aquela música só deve ser cantada á dois, e com aquela pessoa especial somente.

Enfim, eu continuo sempre aqui, apenas eu e os eletrodomésticos, somente á espera d alguém para compartilhá-los...

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
"Sou somente uma alma em tentação, Em rota de colisão. Deslocada, estranha e aqui presente." Lenine (fere e rente)